Quarta, 01 de abril de 2020
47 99116-3294
Brasil

17/01/2020 ás 16h21

Redacao

Itajaí / SC

Turistas são atacados por búfalo no cânion Fortaleza, no Rio Grande do Sul
Duas mulheres ficaram feridas
Turistas são atacados por búfalo no cânion Fortaleza, no Rio Grande do Sul
Divulgação

Um búfalo atacou um grupo de turistas no cânion Fortaleza, dentro do Parque Nacional da Serra Geral, em Cambará do Sul, RS. Segundo a Polícia Civil, duas turistas, de 59 e 44 anos, sofreram ferimentos.


A mulher de 59 anos estava com o esposo e o filho no dia do acidente. Ela é natural do Paraná e foi a primeira do grupo de turistas a ser atingida pelo animal. Ela contou à polícia que o bicho correu em direção ao grupo, e ela foi atingida, enquanto o marido e o filho conseguiram fugir do ataque. 


A turista de 44 anos, Juliana Farias Sardenberg, é paulista, de São Caetano do Sul, e estava com os filhos, Lucas, de 18 e Gabriela, de 8. A família estava acompanhada, no momento do ataque, por Douglas Machado, que atua como condutor no local.


Ainda emocionada, Juliana conta que viveu os piores momentos da vida naqueles segundos. Ela conta que estava no Rio Grande do Sul com os filhos para passar as férias quando decidiram ir passear no parque em Cambará do Sul. "


O búfalo atacou primeiro uma senhora antes de me atingir. Depois, ele continuou descendo e me bateu. Ele me jogou pela nádega esquerda e me arremessou longe. Eu agradeço a Deus porque meus filhos não se machucaram, mas o trauma é imenso.Juliana foi atendida no hospital de Cambará do Sul, depois passou por um hospital de Gramado e agora está sendo atendida por um ortopedista de São Paulo. Ela não sofreu fraturas ou perfurações no corpo. A turista reclama ainda que, até o momento, não contou com a apoio dos representantes do parque, apenas da agência de turismo e do profissional que a ajudou. Douglas Machado, que atua como condutor no cânion Fortaleza, conta que sempre leva os visitantes até o mirante, no ponto mais alto do parque, onde o acidente com o búfalo ocorreu. Ele ressalta que, no dia do ataque, ouviu cachorros e foi verificar a situação porque os animais não podem ficar no parque. O instituto Chico Mendes, que responde pelo parque ainda não se manifestou sobre o assunto. (Com informações de Gaúcha ZH)


 

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
Facebook
© Copyright 2020 :: Todos os direitos reservados