Segunda, 17 de fevereiro de 2020
47 99116-3294
Esportes

27/01/2020 ás 09h37

Redacao

Itajaí / SC

Itajaí Vôlei estreia na Superliga B com vitória por 3 sets a 1 contra Chapecó
Vitória teve apoio da torcida, que embalou as jogadas das atletas da cidade peixeira. A capitã Sassá ganhou o troféu Viva Vôlei como destaque do jogo
Itajaí Vôlei estreia na Superliga B com vitória por 3 sets a 1 contra Chapecó
Chape Vôlei/Imprensa

O Itajaí Vôlei venceu o  ACV/PMC/Chape/Uno, de Chapecó, por 3 sets a 1 na estreia da Superliga B nacional, na noite deste sábado (25). As atletas alcançaram a vitória com o apoio da torcida, que lotou o Ginásio de Esportes Ivo Silveira, no bairro Fazenda, e vibrou a cada ponto. A capitã do time, Wélissa de Souza Gonzaga, a Sassá, ganhou o troféu Viva Vôlei, prêmio concedido pela Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) para o destaque do jogo.

Com as atletas Emanuelle, Natália, Sassá, Letícia B., Thaynã, Ju Paes e Yvea na escalação principal, o Itajaí Vôlei abriu o placar. O primeiro ponto veio após saque da levantadora Thaynã. A equipe abriu vantagem de cinco pontos e com saques certeiros da capitã. A oposta Letícia B. cortou duas bolas em jogadas que deixaram a defesa adversária sem reação e o time da casa aumentou o saldo de pontos, o que levou à uma pausa para ambos os treinadores estreitarem táticas. Um peixinho de Thaynã deixou a torcida eufórica, mesmo com o ponto para as visitantes. A "Chape" diminuiu o placar, mas a ponteira Lohayne entrou em quadra, sacando e fazendo dois pontos seguidos, fechando o primeiro set em 25 a 21 para a equipe itajaiense.

O segundo set foi mais acirrado, decidido ponto a ponto. O Itajaí Vôlei abriu o placar com defesas de Yvea, viu o adversário virar após alguns deslizes e depois equilibrou com ataques pesados. Embaladas pela "ola" da torcida, Bia Magnabosco e Yasmin foram escaladas e já entraram fazendo diferença. A levantadora sacou, o time adversário devolveu, a muralha criada por Yvea deixou o placar igual - a um ponto do fim do set -, mas o time de Chapecó terminou o set com vitória, por 27 a 25.

A equipe do Itajaí Vôlei voltou com tudo para o terceiro set, abrindo vantagem já nos quatro primeiros pontos. Um corte de Emanuelle fez a bola deslizar pela rede, cair na defesa quase no chão e aumentar o placar para o time da casa. Lohayne fez saques que deixaram todos boquiabertos. Já Natália, um dos destaques do jogo, fez seis pontos consecutivos, com saques fortes e ataques estratégicos. Os últimos dois pontos vieram com bloqueio de Yvea e um saque do time adversário na rede: 25 a 15 para a equipe peixeira. 

O quarto e último set foi marcado por uma lavada. As atletas que representam a cidade fecharam o placar com uma vantagem de  16 pontos, com a pressão da torcida sob as adversárias e jogadas de Letícia B., Sassá e da líbero Ju Paes.

Mãe coruja - A ponteira do Itajaí Vôlei, Bia Magnabosco, conta com um apoio extra para a Superliga B. A mãe da atleta, Raquel Maria Cassimiro, a acompanha desde os amistosos que antecederam a competição, contra São José dos Pinhais (PR), e assim fará nos próximos jogos. Raquel mora em Caldas Novas, no estado de Goiás, mas ficará na casa de amigas para não perder nenhuma partida. "Quando era mais nova, tinha o sonho de ser modelo e, apesar do apoio da minha mãe, não tive uma resposta positiva do meu pai. Algumas colegas até me questionam sobre o apoio que dou a Bia, mas torço para o melhor por ela", compartilha.

Homenagem - Após o segundo set, a Fundação Municipal de Itajaí (FMEL), que apoia o Itajaí Vôlei com locais para treino, homenageou o ex-atleta de vôlei Juliano Bengini. O jogador já disputou a Superliga A nacional, como na temporada 2012, no qual foi meio de rede do Londrina/Sercontel.

Reforço para a modalidade em Itajaí

O Itajaí Vôlei chega na cidade para impulsionar a modalidade entre os esportes de destaque. A equipe reforça o trabalho de times amadores como o Up Vôlei, que nasceu entre um grupo de amigas para representar o município no alto rendimento. Criado em 2013, a equipe possui 15 atletas na escalação principal e 15 na categoria iniciante, entre 16 e 50 anos. Ariani Colodoro, levantadora do Up, assistiu a estreia na Superliga ao lado das colegas e não escondeu a animação.

"Itajaí tem um nome forte no futebol, beach soccer e natação, principalmente no naipe masculino. O Itajaí Vôlei é importante para divulgar a modalidade na cidade. Estamos felizes por termos um time representando o município numa competição nacional e por podermos mostrar que temos também uma equipe formada por moradoras daqui e de cidade vizinhas", compartilha Ariani.

O Up Vôlei competiu em campeonatos amadores da região até 2019. A equipe terminou o ano com o ouro da 1ª Copa Itajaí e outros 10 títulos. Neste ano, o time participará de disputas em Canoinhas, Brusque e Curitiba, no Paraná.

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
Facebook
© Copyright 2020 :: Todos os direitos reservados